27 de fevereiro de 2008

Metrô, ahhh o Metrô

O metrô de São Paulo é frenético. Aquele vuco-vuco de pessoas, entra sai, entra e sai, empurra empurra.
É preciso paciência, disposição e ... ouvidos de aço!
É cada uma senhoras e senhores ... Apresento lhes, crônica do metrô:

- Acho que foi o Felipe.
- Não, vai a Natália.
- Nãoo ele é muito falso! Vai o Felipe!
- A Natália! O filme dela é muito queimado! Ela é muito exibida!
- É pode ser , se bem que eu mesma não tenho nada contra ela!
- Nem eu, mas eu tenho certeza que vai a Natália!
- Ai menina, e a outra que está junto no paredão? Isso de paredão triplo no Big Brother já perdeu a graça né?

( Mariana, nesse momento, vai com as mãos à testa e balança a cabeça ... Acha engraçado como as pessoas tratam pseudo artistas como conhecidos... mentira, acha bem bizarro mesmo. Freud deve explicar ...)

Já na estação Paraíso, onde um mar de gente tentou me empurrar e eu permaneci imóvel como um Tótem asteca:
- Pra você ver rapaz, era até bonita a garota.
- Mas o que aconteceu?
- Ele foi la e enfiou aquelas facas sabe? Bem no meio do peito. Ai o garoto ficou com uma tia ou algo assim.
- E o cara?
- Ah, não sei, acho que estava foragido, veio para São Paulo, mas não aguentou né?
Ai foi preso, se não me engano.
- Olha só rapaz e porque isso?
- Diziam que na terrinha ela estava com outro né?
- Ahhhh tá.
- A próxima já é a Sé né?

( Mariana tenta entender como as pessoas tratam com naturalidade a desgraça alheia, e como a morte pode ser justificada por uma suposta traição. Ainda pensa no menino órfão, que deve estar servindo de empregado doméstico para uma tia rabujenta do meio cabrobró de lugar esquecido por meu deus.)

Nisso depois da Sé, entra uma senhorinha, de meio metro de altura, jogando seu lindo corpo de barril para cima da minha pessoa, sem a menor educação. Deve pensar que os cabelos brancos e a idade dão direito a ela ser um inseto mau educado. Minha vontade era de gentilmente deixar meu calcanhar para ela passar de cara no chão, mas a minha boa educação me permitiu apenas uma olhada bem feia.
Ela, fingiu que não tinha feito nada de errado.

Estação São Bento.
Graças aos céus, a pobre malha ferroviária de São Paulo, e a má educação do povo brasileiro, chego ao meu destino suada, pisada e mau humorada.




Ahhh o metrô de São Paulo! Por incrível que pareça a grande maioria dos usuários sentem-se satisfeitos em serem amassados, sufocados, pisoteados, esmagados, mau tratados e ainda pagar R$ 2,40 por isso!!!
Eu desconfiava que o povinho tinha um "quê" de masoquista mesmo ...

Um comentário:

Trotta disse...

Eu adoro o metrô!!! Mas... eu sou meio besta, não sirvo de parâmetro.

Meu pai gosta de falar de doenças dos outros. Sexta passada, quando ele me levou no hospital, vc precisava ver a alegria dele quando chegou uma ambulância. Parecia que era um caminhão de sorvete.

E quem tem que sair é a Juliana, pra posar na Playboy logo.

Beijo