18 de janeiro de 2008

Felicidade!

Aproveitando o embalo jornalístico do "Metro News" ( por sinal o metrô, cada dia pior, hoje mais uma vez deu pau), vou falar um pouco de felicidade.
Começando chutando o balde, enfiando o joelho na jaca, senhor Denis Leary:


"Happy people suck. They are annoying. They're just too goddamn happy. (Smiling and waving) "Have a nice day!" Have a coronary embolism, you empty little simp. Anyone who is that happy must be an idiot, because if you can read and there's a newspaper stand near your house -- you have nothing to be happy about. I don't trust happy people. I think anyone with a big smile on their face during daylight should be timed with a radar gun -- and if the smile lasts longer than three seconds, give them a urine test. (Gazing into glass of urine) "Ahh. . . just as we thought. You are a complete and utter moron. We're going to have to shoot you." BLAM!



Grande Denis!
Para aqueles que não são íntimos com o inglês, apenas uma tradução " Eu não confio em gente feliz."

Oras eu também não! Como podem existir pessoas felizes o tempo todo? Como alguém pode acordar 5 da matina pra ir pro trampo, pegar um vutcha trânsito, motoboy batendo no espelho retrovisor, metrô quebrado, gente fedendo logo de manhã cedo e ainda assim sorrir por mais de 3 segundos?
Esse tipo de gente realmente tem problemas!

A felicidade plena existe?

A minha opinião, não, ela não existe.
Ser sorridente o tempo todo, achar que o mundo é sempre cor de melão do mato, achar que é legal pegar busão lotado é no mínimo impossível!
Podemos, claro, olhar o lado melhorzinho da vida, sentir pontadas de felicidade no estômago, ficar feliz pra caralho com a vitória do Corinthians, chorar no casamento do irmão, enfim, óbvio, a felicidade existe, a felicidade pra sempre é utópica.
E, olha só que estranho isso partindo de mim, isso é bom.

A não ser que a sua vocação seja monge budista ou padre franciscano, precisamos de ambições, desejos, aquilo de "querer algo melhor", querer um "algo mais" , isso é o que nos traz nossas frustrações e infelicidades, porém é uma maneira de não se acomodar, de tentar viver coisas novas, de não cair na rotina ...

O jeito mesmo é tentar não lembrar o tempo inteiro que seu emprego é uma merda, que você está parecendo um botijão, ou que seu marido é um crápula, mas também não se acomodar e tentar resolver esses problemas, porque ao mesmo tempo que felicidade plena é impossível, infelicidade plena é possível e bem fácil de ser alcançada...

Gostou? Meu próximo passo é escrever um livro de auto ajuda para senhoras donas de casa e ficar rica...
Se segura Paulo Coelho, seus dias de best seller estão contados!!

VUTCHA VIDA quanta besteira!




Pessoas felizes pulando no meio da rua ... Você confia?

2 comentários:

Trotta disse...

Ah vai, vc tá dizendo isso mas bem que vc adorou andar de metrô ontem que eu sei. Eu vi, eu sei que vc gosta, hehehe!

Gozado, também não fiquei nem um pouco feliz com a vitória do Corinthians.

Sammia disse...

Hahauahauhsaushaushau escreveee filha!
Escreve que quem sabe assim a tua vutcha vida não melhora e vocÊ ganha uns milhões?

Pois é, merda de felicidade utópica. A minha é bem globalmente pintada. Quando tem cerveja fica beleza, se não tem tem porra de felicidade nenhuma não!
Hahahaha