15 de maio de 2008

O cão guia


Como de costume encontrei ontem na Paulista um dos estranhos do meu dia a dia .
Ele é um rapaz cego, que tem como fiel escudeiro um labrador caramelo.
Imagine - se nessa situação, cego, andando no meio da Avenida Paulista EM OBRAS!
Praticamente missão impossível!
Ai que entra o trabalho do cachorro, guiando seu dono por meio de pessoas mau educadas, buracos e postes.
Outro dia encontrei-os no metrô Consolação, 6 horas da tarde, bem no horário de pico.
Confesso que o pobre cão estava muito perdido no meio daquele povo todo.
E as pessoas ignorantes olhavam de soslaio , como se perguntassem "um cachorro no metrô?"
E que luta para entrar no metrô com o cachorro. Como podem ver nessa reportagem , e nessa aqui também a ignorância e a falta de acesso aos portadores de deficiência não é de hoje, porém persiste.
Na minha cabeça de minhoca, penso eu que o problema vai além.
É um problema social. A sociedade não aceita, e temo dizer que não quer aceitar, que pessoas deficientes façam parte da nossa sociedade.
Quantos amigos deficientes você tem? Quantos trabalham com você?
Ao invés de ter dó, porque ser conivente com isso então?
Por que não ajudar uma ONG, por que não lutar pelos direitos deles e o mais importante, por que não aceitá-los em sociedade?
Voltando ao tema principal, o cão guia.
Para ser um cão guia é necessário uma seleção digna de Roberto Justus!
Desde os primeiros meses o cão é observado para saber se o seu comportamento condiz com sua futura função.
Após isso é introduzido a uma família para que se acostume com o convívio com humanos, que tem o desafio de passear com ele bastante (o animal deve viajar mais que eu!) e ensinar comandos básicos.
Depois disso ainda tem uma escola para cães, e aiiii sim irá se adaptar ao novo parceiro.
Um trabalho danado.
Um trabalho importante também.
Mais que "os olhos" do dono, é um companheiro não é mesmo?

3 comentários:

Sammia disse...

Você e a Marília escreveram sobre cães guias. Loco!

Trotta disse...

Posso comentar aqui? Eu acho que vc deveria ter abstraido o cão-guia por um momento e olhado pro lado. Vc veria a Marília.

disse...

Eles são uns fofos!