3 de junho de 2008

Carta de um homem desesperado que encontra na saudade a esperança pra continuar vivendo

Aquela carta que deixou em cima da mesa quase tirou minha vida.
Tirou meu sono, meu sorriso.
Nunca imaginei que sentiria sua falta dessa maneira, então te deixei ir.
Agora sinto saudades do seu café, quando tomo uma borra amarga que servem na padaria.
E penso nos dias que te abandonei, por causa da viagem de negócios, do happy hour e das horas extras.
Muitas vezes quis estar longe, quis minha liberdade, não dei ouvidos as suas insistentes mágoas. Achava mesmo que nossa rotina não me faria falta. E agora como sinto falta de você!
Os dias são cinzas, as horas se arrastam e passo a ficar na janela para ver se volta.
E não volta. Um mês e não volta.
Não atende o celular, sua mãe diz que não esta, vou no shopping pra ver se te encontro e fico imaginando se está com algum rapaz da metade de sua idade, um senhor rico, ou um vizinho.
Estas me deixando louco Jandira.
Peço o seu perdão, imploro de joelho, largo meu emprego para irmos para a Grécia, vamos ter aquele filho que planejávamos, passo o Natal com sua família, mas volta porque senão não tenho mais paz.
Prometo vida nova, casa nova, caso na igreja, mas volta senão prefiro não mais aguentar as noites de insônia longe de ti.
Termino essa carta com um singelo e sincero eu te amo, e peço para você voltar, traga de volta seu amor, e assim, devolva-me o brilho da minha vida.



PS. Trabalho que tive que fazer para a menina Juliana, que não consegue escrever uma simples carta de amor de regresso. CADA UMA viu?! hahahahahhahahaha

3 comentários:

Mieko disse...

Ai, acho que estou igual a essa sua personagem ai... Até no shopping, kkk.
Curti o texto!
beijos

Mieko disse...

aeee, kkk aparece até a foto agora! kkkk

Sammia disse...

Eeeeeeeeee Juliaaaaaaaaaana! ¬¬
tsc tsc tsc hahahahaha

Mieko!! torcicolo ;D