29 de julho de 2008

Egberto Gismonti, no teatro do Sesi

O Centro Cultural Sesi promove alguns eventos culturais, por preços bem populares, e que realmente valem a pena.
Esse domingo, assisti Egberto Gismonti, em um desses eventos. Já o conhecia de nome mas, nunca tive a oportunidade de vê-lo.
Por 10 reais, essa era a oportunidade.
De cara, já faço uma crítica.
Esse teatro do Sesi é péssimo para shows. É o terceiro que vejo e em todos eles saímos desapontados. Ou o técnico de som é desqualificado, ou não disponibilizam verba para compra de equipamentos descentes, ou é pura safadeza mesmo, pois pagamos barato e não podemos exigir. Eu fico com todas as possibilidades.
Isso ficou ainda mais evidente nesse show, pois ele tocou apenas com o filho dele, e não com uma banda.
Meu namorado disse para eu me preparar, pois estava prestes a ver um dos melhores músicos do mundo!
Eu acho os músicos sujeitos engraçados. Com ele não foi diferente. Um senhor de protuberância estomacal, cabelos brancos na altura da cintura e um lenço, vermelho, claro. Achei fantástico. Parecia um cigano ou coisa que valha.
O filho dele é um garoto franzino, óculos e bigodinho de cobrador, daquele tipo de músico bem nerds mesmo.
Começando com um violão que tinha um número enorme de cordas. Talvez 8, preciso conferir.
Indiscutivelmente um grande músico. Porém a perfeição técnica de vez em quando abafa a musicalidade. E ai passa a ser um show exclusivamente para o ego artístico, ou para uma platéia de músicos.
Depois de alguns pedidos para o técnico de som, arrumar o agudo, que não estava saindo, o que o deixou visivelmente irritado, chegando a sair do palco para conversar e deixou o filho em frente à platéia, e ele parecendo que estava com prisão de ventre musical*, decidiu tocar piano.
E ainda fez uma piadinha " Ah sim, o piano tem agudo!!!". Mal sabia que não haveria graves.
Toda a musicalidade que achei faltar no violão, ele demonstrou no piano.
Foi lindo!
Valeu a pena.
Pretendo vê-lo em algum lugar que, tenham graves e agudos em harmonia, e aconselho a fazerem o mesmo.



* Prisão de ventre musical: Estado do qual o músico encontra-se tão preocupado em tocar técnico, que esquece da música em si. O som sai portanto prensado, sem musicalidade, como se estivesse travado, daí a expressão.

2 comentários:

Progshine disse...

Gosto bastante do Egberto Gismonti, o Dança Das Cabeças de 1977 é tão bom :)

Pena que o show não foi tão bom :)

O Equilibrador de Pratos disse...

Excelente blog. Virarei assíduo aqui. Acho que pode rolar uma interação legal entre nossos blogs. Confere lá também e me procura (Jurandir).

- O Equilibrador de Pratos -

O que os homens pensam?
Relacionamentos. Teorias. Discussões. Comentários. Mulheres. Sexo. E pratos equilibrados em varinhas. WHY so SERIOUS?

3 amigos (B. Sacamano, Hannibal e Jurandir, pseudônimos, claro) que resolveram fazer um blog tratando de assuntos que abordam o "Universo Homem + Mulher = Relacionamentos". Retrata todos assuntos citados acima, com textos bem escritos, humorados, ácidos, sarcásticos, irônicos e, sinceros ao extremo. Vale dar uma conferida. E que atire a primeira pedra quem não se identificar com algo.

Blog: www.oequilibradordepratos.blogspot.com

PS: por que o nome "O Equilibrador de Pratos"? Entre no blog e descubra. Será um "soco no rim". No bom sentido, é claro.