4 de setembro de 2008

Criança no metrô

Veja você, caro leitor. A Babilônia de asfalto e cimento não presta atenção nem mais na inocente criança.
Na manhã afoita de uma quinta feira, vejo perdido entre pernas e sacolas uma criança loira, que parecia se divertir passeando entre os apressados e insensíveis usuários do metrô.
O moleque tinha uns 2 anos, e parecia não ligar de estar sozinho no meio de todo mundo.
E ninguém parecia achar estranho também aquela cena.
Eu de vez em quando tenho isso. Fui até a criança. Instinto materno? Coisa de mulher em período sensível? Eu não sei.
Quase raptei o safado! Era tão loiro que não tinha nem sobrancelha, e tinha dois olhos bem pequenos e pretinhos. A pele era macia, de um macio que chega a tocar a alma, de não dar vontade de desgrudar.
E ainda quando cheguei perto dele, abriu um sorriso travesso, de "quem é você louca, me deixe".
Só então eu percebi um velho desesperado tentando passar a catraca, e dizendo, meu bilhete não funciona, segura a criança!!
Levei-o então ao velho pirado.
Por pouco você não perdeu uma neto! Ahhh por pouco!!!

3 comentários:

MM. disse...

instinto materno?
bom, acho que sim, vou deixar meus pivetes com vc, véi...
mas tem muito desses pirados. uma vez minha tia com seus 3 filhos, foi pegar o famoso metro tb, quando chegou ao destino (ela vinha da estação Tatuapé para Barra Funda), percebeu que tinha perdido um, mas dessa vez o muleque estava em outra estação, agarrado a catraca gritando. ele devia ter uns 3, hoje com 18 é pirado ainda - trauma... Acho que ela levou umas 3h00 pra achá-lo, depois q percebeu q tinha perdido. enfim!

Andrézão disse...

HUMMM quer ser mamãe...que linda!!!

nice post!!!

Mariana disse...

Mieko: pode deixar comigo, mas não reclame se ele aparecer com uma tattoo nova de brinde!
Ser pirado é de família não é?

Andrezão: Não, to legal de ter filho, só ia roubar o dos outros mesmo...